História e Património das "Terras de Algodres"
(concelho de Fornos de Algodres)
ed. Nuno Soares
Contacto: algodrense(at)sapo.pt
Segunda-feira, 1 de Outubro de 2007
Documentos para a história de Algodres (12)

 

 

(Chancelaria de D. João III)

 

 

 

O Dr. Pedro Pinto (CEH-UNL) teve a amabilidade de nos enviar os seguintes resumos de documentos existentes no IAN/TT – Chancelaria de D. João III, com interesse para a história das Terras de Algodres:

 

 

 

Livro 52, fol. 48v

 

31.12.1529

 

Carta régia confirmando o alvará de 13.8.1519, pelo qual D. Manuel ordenava ao Corregedor da Beira que os moradores de Fornos não fossem constrangidos para terem outro padrão de medidas de azeite, somente o que tinham de vinho.

 

 

 

Livro 52, fol. 56v

 

30.12.1529

 

Carta régia confirmando o alvará de 16.8.1519, pelo qual D. Manuel ordenava que os moradores de Fornos de Algodres não fossem constrangidos a afinar os seus pesos e medidas mais do que duas vezes cada ano, e os moradores do termo apenas uma vez.

 

 

 

Livro 52, fol. 56v

 

11.05.1529

 

Carta régia confirmando o alvará de 13.8.1519, pelo qual D. Manuel ordenava que o concelho de Fornos não fosse obrigado a ir às procissões do dia de Corpus Christi, do Anjo e de Santa Isabel, que se faziam no concelho de Algodres, pois o concelho de Fornos tinha privilégio de somente ir o clérigo de Fornos pelo dia de Corpus Christi, pois era concelho sobre si e não era sujeito a Algodres, podendo realizar essas mesmas procissões em Fornos onde se ajuntava muita gente.

 



publicado por algodrense às 01:00
link desta entrada | comentar | favorito

2 comentários:
De al cardoso a 2 de Outubro de 2007 às 10:03
Quando se refere a festa do "Anjo" provavelmente referiam-se a S. Miguel, Ja quanto a Santa Isabel deveria ser santa de devocao na regiao. Existe uma pintura dessa santa um painel antigo na igreja de Vila Cha d'Algodres, de que provavelmente um dia destes irei mostrarei uma fotografia!


De Nuno Soares a 1 de Outubro de 2007 às 11:22
Agradeço ao Dr. Pedro Pinto mais este contributo, desta vez de especial interesse para a história local de Fornos de Algodres.

Os dois primeiros documentos estão relacionados com a reforma dos pesos e medidas realizada no reinado de D. Manuel I. Para além do novo sistema legal de pesos – a que já nos referimos aqui: http://oldblogs.sapo.pt/comentar?entry_id=1074031 - D. Manuel padronizou também as medidas de capacidade (para cereais, vinho e azeite), mandando adoptar as medidas usadas em Lisboa: “E mandamos que todas as medidas, e pesos, e varas, e côvados sejam tamanhas como as da Nossa Cidade de Lisboa, e não sejam maiores nem menores(...) - “Ordenações Manuelinas”, Liv. I, Tít. XV, n. 24; cf. LOPES, 2003, pp. 154 e ss.). As “Ordenações Manuelinas” (Liv. I, Tít. XV, n. 32) determinavam quais os padrões de medidas de capacidade que todos os concelhos eram obrigados a ter. Pelos vistos, o concelho de Fornos obteve do rei o privilégio de não ser obrigado a possuir o padrão de medidas de azeite. Pelo segundo documento, deduz-se que os moradores de Fornos foram dispensados de afinar os seus pesos e medidas (pelos padrões guardados nos paços do concelho) mais do que duas vezes em cada ano (ou mais do que uma vez por ano, tratando-se de moradores no termo). Já era essa a regra geral prevista nas Ordenações (cf. Liv. I, Tít. XV, n. 57), mas estas obrigavam, porém, certas categorias de comerciantes, a afinarem os seus pesos e medidas com maior frequência (os carniceiros, por ex., deviam afinar os pesos a cada dois meses).


Comentar post

pesquisar
 
Agosto 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


entradas recentes

...

Sobral Pichorro e Fuínhas...

...

Freguesia de Muxagata no ...

...

Freguesia de Maceira no C...

...

...

Freguesia de Fornos de Al...

...

links
temas

abreviaturas

algodres

alminhas

bibliografia (a - f)

bibliografia (g - r)

bibliografia (s - z)

bibliografia algodrense

capelas

casal do monte

casal vasco

castro de santiago

cortiçô

crime e castigo

documentos

estatuto editorial

estelas discóides

figueiró da granja

fornos de algodres

fortificações

fraga da pena

fuínhas

heráldica

humor

índice

infias

invasões francesas

juncais

leituras na rede

lendas e tradições

maceira

marcas mágico-religiosas

matança

migração do blog

mons. pinheiro marques

muxagata

notícias de outros tempos

personalidades

pesos e medidas

publicações recentes

queiriz

quinta da assentada

ramirão

rancozinho

sepulturas escavadas na rocha

sobral pichorro

toponímia

vias romanas

vila chã

todas as tags

arquivos

Agosto 2015

Julho 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Março 2013

Maio 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

blogs SAPO
mais sobre mim
subscrever feeds
Redes

Academia

Facebook

LinkedIn