História e Património das "Terras de Algodres"
(concelho de Fornos de Algodres)
ed. Nuno Soares
Contacto: algodrense(at)sapo.pt
Quarta-feira, 7 de Dezembro de 2005
I H S

IHS-Algodres1.JPG

 

 

 

 Na torça de uma porta, em Algodres, estão gravadas as letras IHS, estando o H central carregado com uma cruz  (parece existir ainda, pelo menos, mais uma cruz, gravada lateralmente).

 

 Embora a abreviatura IHS apareça por vezes na epigrafia portuguesa com outros significados (por ex. “Joanes”), quando gravada isoladamente e por esta forma representa muito provavelmente as iniciais das palavras latinas Iesus Hominum Salvator (“Jesus Salvador dos Homens”).  Simboliza Cristo e o sacramento da Eucaristía. 

 

 O seu uso foi e é muito comum em edifícios religiosos, em paramentos e alfaias litúrgicas, em portas de sacrário, ...

 

 Especialmente nos séculos XVII e XVIII, foi também vulgar a sua utilização em construções particulares, como manifestação de religiosidade popular, à semelhança de outras incentivadas pelo espírito da Contra-Reforma.   

 

 Esta inscrição de Algodres datará, provavelmente, dessa época.

 



publicado por algodrense às 01:29
link desta entrada | comentar | favorito

6 comentários:
De o_teco a 13 de Dezembro de 2005 às 22:15
Muito bom este BLOG


http://apologo.blogs.sapo.pt


De a. cardoso a 8 de Dezembro de 2005 às 05:26
Caro Nuno:
bem haja pela informacao, creio que vou ter que ir a portugal breve, assim poderei continuar o meu album de fotos historicas.
um abraco de amizade.
al


De Nuno Soares a 7 de Dezembro de 2005 às 15:28
Caro Albino:
A gravação desta foto está numa casa situada pouco depois do início da rua que sai da Praça de Algodres em direcção ao Comborço. A outra que referi, fica na rua que sai da mesma Praça em direcção à capela da Senhora do Campo.
Para além destas e das publicadas no seu blog, nas Terras de Algodres só conheço as que são referidas por Mons. Pinheiro Marques. Mas não é assunto ao qual tenha dedicado muita atenção, pelo outras poderão existir sem que nelas tenha reparado.
Um grande abraço do,


De a. cardoso a 7 de Dezembro de 2005 às 14:34
Ja agora podia dizer-me onde em Algodres se encontram essas gravacoes? Conhece algumas mais?


De Nuno Soares a 7 de Dezembro de 2005 às 09:47
Caro Albino: claro que poderia ser esse o caso. Mas não necessariamente, já que outros estratos da população também usaram estes símbolos. Hoje já não temos maneira de saber ao certo, em especial quando o contexto em que o símbolo aparece nada acrescenta.
Como já referi noutro comentário, tenho até notado um pouco por toda a Beira que estas inscrições aparecem também em estábulos e não só em casas de habitação. No caso da foto, não sei se esta construção terá sido habitada. Mas existe em Algodres outro IHS gravado numa "palheira" (que hoje já quase não é perceptível a olho nu) o que permite supôr outro tipo de motivações (invocação da protecção divina para o gado?).
Um abraço do,


De a. cardoso a 7 de Dezembro de 2005 às 05:34
E curioso notar que e precisamente durante o tempo em que cronologicamente estaram datadas estas gravacoes, que mais activa esteve a inquisicao e quando os "cristaos novos" tiveram que provar que realmente seguiam os ditames da fe crista. Nao quero afirmar que essa e outras gravacoes semelhantes sejam por si so a afirmacao de que o proprietario dessa casa era "cristao novo" mas poderia muito bem ter sido.
Porque razao esse antigo proprietario teria que fazer essa gravacao, senao fosse para publicamente declarar a nova fe?
E porque e dentro das varias comunidades so aparecem alguns casos e nao a maioria?


Comentar post

pesquisar
 
Agosto 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


entradas recentes

...

Sobral Pichorro e Fuínhas...

...

Freguesia de Muxagata no ...

...

Freguesia de Maceira no C...

...

...

Freguesia de Fornos de Al...

...

links
temas

abreviaturas

algodres

alminhas

bibliografia (a - f)

bibliografia (g - r)

bibliografia (s - z)

bibliografia algodrense

capelas

casal do monte

casal vasco

castro de santiago

cortiçô

crime e castigo

documentos

estatuto editorial

estelas discóides

figueiró da granja

fornos de algodres

fortificações

fraga da pena

fuínhas

heráldica

humor

índice

infias

invasões francesas

juncais

leituras na rede

lendas e tradições

maceira

marcas mágico-religiosas

matança

migração do blog

mons. pinheiro marques

muxagata

notícias de outros tempos

personalidades

pesos e medidas

publicações recentes

queiriz

quinta da assentada

ramirão

rancozinho

sepulturas escavadas na rocha

sobral pichorro

toponímia

vias romanas

vila chã

todas as tags

arquivos

Agosto 2015

Julho 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Março 2013

Maio 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

blogs SAPO
mais sobre mim
subscrever feeds
Redes

Academia

Facebook

LinkedIn